Odontologia sistêmica: como a saúde bucal afeta o resto do corpo?

Atualizado: Jul 22



Preocupar-se com a saúde bucal é fundamental, pois é preciso garantir que os dentes estejam bem cuidados e sem cáries. Todavia, é preciso ir além, afinal de contas, isso pode interferir em todo organismo sabia?


Engana-se quem pensa que a saúde bucal está ligada apenas a estética dos dentes, se eles estão alinhados e branquinhos. A saúde de sua boca está ligada a diversos fatores que nem sempre vemos a olhos nús. Por isso, é tão importante visitas periódicas no dentista.


Diabetes, ansiedade, HPV, osteoporose, doenças cardiovasculares… Essas e outras doenças podem ter relação direta com a saúde da sua boca. A boca é porta de entrada de alimentos, mas também de bactérias e microorganismos. E a falta de cuidados com a microbiota oral pode causar incômodos diretamente no local, como dores, pontadas, mau hálito, aftas frequentes, feridas e também agravar problemas em outras regiões do corpo, se a higiene bucal não estiver em ordem.


A odontologia sistêmica estuda justamente essa integração. Quer entender melhor como ela funciona? A gente explica TUDINHO para você.


O que é odontologia sistêmica?


A odontologia que utiliza essa abordagem verifica a relação da boca com o organismo e seus aspectos mental, comportamental e emocional do indivíduo, ou seja, avalia o indivíduo como um todo.


Em outras palavras, tudo que ocorre na cavidade oral, pode interferir na saúde do organismo e influenciar no comportamento físico, psicossocial e familiar. Não acredita? A relação é simples, veja só:


As gengivas são compostas por milhares de vasos sanguíneos e hábitos comuns do dia a dia, como a alimentação, podem causar o rompimento deles. Isso faz com que as bactérias presentes na superfície dentária, gengiva e dentes passem para corrente sanguínea.

O resultado? O surgimento de doenças graves como cardiovasculares, nas articulações e até o parto prematuro com bebês de peso baixo.


Como funciona o tratamento?


Regulamentada pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), a odontologia sistêmica adota tratamentos integrativos e complementares como fisioterapia, acupuntura, terapia floral, laserterapia, hipnose e homeopatia.


Claro que só isso não é suficiente, é necessário uma boa higiene bucal, com o bom e velho fio dental e a escova de dentes, bem como visitar o dentista regularmente para check-ups preventivos e limpezas profissionais para evitar e prevenir agravamentos de algumas doenças.


Quais problemas de saúde pode ter relação com a boca?


Diabetes - o hálito de acetona pode indicar, muitas vezes, que você tem diabetes. Além disso, ele passa a apresentar inflamações na gengivas, feridas bucais, perda óssea ao redor dos dentes e boca seca, sendo assim, mais fácil a proliferação de bactérias. As doenças periodontais prejudicam o tratamento da diabetes e vice versa. Por isso, recomenda-se evitar as infecções na gengiva e isso só é possível com uma boa saúde bucal.


Ansiedade - pessoas ansiosas apresentam maior facilidade em ter bruxismo ( ranger os dentes). A doença pode provocar problemas mais graves, como complicações na gengiva, ossos e articulação da mandíbula.


Osteoporose - a fase inicial da osteoporose pode se mostrar nos dentes, causando problemas na mandíbula, dentes soltos, gengivas destacadas ou retração gengival.


Doenças cardiovasculares - as bactérias presentes em nossa boca podem chegar ao coração por meio do sangue que circula em todo o corpo. Elas podem diminuir a circulação sanguínea nos vasos que ligam o coração, aumentando as chances de doenças coronárias e os riscos de derrame ou infarto.


Entendeu como a odontologia sistêmica pode afetar a saúde bucal e seu organismo? Se gostou desse conteúdo, aproveite e compartilhe-o em suas redes sociais.




5 visualizações